Grandes prejuizos para os jurutienses. Decretado Calamidade Pública Juruti atraiu atenção do Brasil e do mundo para o trágico fenômeno das águas que tragaram a frente da cidade em 1985.

Comerciantes aproveitam  as madeiras e telhas de seus estabelecimentos para evitar prejuízos maiores com o desabamento de terras, em 1985.

 

Marco inicial da construção da Praça da República - Coreto já construido - no fundo a igreja e o alojamento paroquial

 

Durante a inauguração da Funtelpa (torre da Telepará)

 

Desmontagem dos prédios comerciais em 1985 em consequência do fenômeno das terras caidas do Rio Amazonas - Farmácia do Povo e Supermercado Santa Rita que representava a COBAL - Rede SOMAR de Abastecimento

 

Comércios em desmontagem prevendo a erosão atingir toda área comercial 

Posse do então prefeito Madson Auzier Pinheiro e seu vice Ariosvaldo Pereira Rebelo (Parazinho), ladeados por Raimundo Coelho, Deputado Nilçon Pinheiro e vereador Manoel de Matos Menezes (Coroca de Juruti-Velho) -  inicio de 1983

Em 1983, durante a posse de Madson Pinheiro (1983 à 1988). Presença ilustre do vereador Hernane G. dos Santos, José Nunes, Raimundão Coelho, Régia Pinheiro, Manoel Menezes e outros.

 

Primeiro dia de administração de Madson Pinheiro e Parazinho (1983 à 1988). Uma eleição disputada contra Isaias Batista Filho e José Pinheiro (ambos candidatos titulares à prefeito de Juruti)

 

Vista aérea da construção da Praça da República - algumas casas ainda feitas de paredes de barro

 

Nova área portuária de Juruti após os desabamentos, em 1991 - crateras das últimas erosões 

 

Antigo porto de embarque e desembarque na metade do anos 80, alguns meses antes da erosão que destruiu a frente de Juruti. Destaque para o armazém de juta do Sr. Antonio Raimundo Printes, Aramazém do Zecão e outros. 

 

Trabalhadores da Secretaria de Obras da Prefeitura de Juruti, nos anos 70. Acima a Casa Fortalesa (Fortaleza) que ficava ao lado onde se construiu o tradicional e pioneiro Hotel Mimi, na descida da principal rampa de Juruti, na época.

 

Vista dos estragos da primeira fase da erosão que destruiu a área portuária de Juruti em 1985

 

Umas das primeiras e principais avenidas de Juruti. Rua das Mangueiras - Av. Lauro Sodré, onde se instalou em 1981/1982 a Telepará, o banco do Brasil e o banco do Bradesco (na Administração de Antonio Assunção Coelho)

 

Comunidade de Juruti Velho (conhecida carinhosamente de Vila Muirapinima). Uma das novas ruas da vila.

 

Um prédio histórico que abrigou por um bom tempo uma cobra sucury colocada pelo seu antigo dono Sr. Marialva (que morou em Juruti-Velho) para comer ratos. Localizada em frente ao Hotel Mimi, era símbolo de prosperidade de Juruti.

 

Vista aérea do municipio de Juruti. As primeiras ruas e a sua expansão até os anos 90, registra a forma mais planejada e organizada de lotes e quadras dos terrenos. Na época, só existia uma única ruela (tipo beco) que ficava por trás da agência dos Correios antigo

 

A  enfermeira Júlia e os pacientes do antigo Hospital da SESPA, localizado na Trav. Turíbio Vieira, esquina com a Rua Marechal Rondon. Nesse local foi construido o atual Hospital Pedro Valinotto, construido pelo Estado na Administração de Isaias Batista Filho e inaugurado na Administração Ariosvaldo Pereira Rebelo (1993)

 

Grupo Velho como era chamado um dos primeiros Grupo Escolar de Juruti

 

Porto de Juruti nos anos 80. Imagens históricas dos táxis de Juruti (as Rurais)

 

O caís do porto feito com proteção de madeira em 1993 na administração de Ariosvaldo Rebelo (Parazinho), um projeto sem muito sucesso.

 

Um modelo de casa mais inovada nos anos 80 em Juruti, localizada na Rua Belém, próx. ao canto da Praça da República e em frente do Cartório. A juventude reunida num final da tarde. Destaque para a figura de Dona Perpétua que está sendo abraçada pela jovem Márcia Cunha (hoje Secretária de Saúde) 

Antigo porto de Juruti

Trabalho de calçamento da Rua da Saudade, esquina com a Av. Lauro Sodré, próx. ao antigo prédio da Prefeitura e Câmara Municipal de Vereadores que funcionava na parte interna do prédio da PMJ.

 

Rua da igreja católica da Vila de Juruti-Velho

 

Rampa da Av. Lauro Sodré. Residência do Sr. Milton Lima e posteriormente a casa de jogos do Joca da Roleta 

 

A frente portuária e comercial de Juruti alagada pela grande enchente de 1975. 

 

A frente de terra firme que restou após a erosão que destruiu as primeiras ruas de Juruti. Esta foto registra a frente da cidade no ano de 1991

 

Porto de Juruti durante uma pequena erosão nos anos 90

 

Uma residência tradicional de Juruti - localizada na Rua Joaquim Gomes do Amaral, esquina com a Trav. Rui Barbosa. Essa casa era local de aglomeração política da ARENA (Aliança Renovadora Nacional).

Escola pioneira do bairro de Terra Preta - Sede Escolar Municipal "Togo Maruoko". Esta escola perdeu os telhados e foi parcialmente destruida por uma forte ventania que atingiu a pequena escola padrão da época.

 

A primeira igreja Católica da paróquia  de Juruti em 1948

 

Principal avenida da Vila de Juruti-Velho - parte frontal e seus estabelecimentos comerciais

 

A principal Avenida da Vila de Juruti-Velho ( a primeira rua da frente da vila)

 

Comunidade Maravilha - lago de Juruti-Velho

 

Relíquia de um dos maiores projetos  educacionais de Juruti para crianças. PROJETO CAÇULO

 

Terminal Marítimo (Abrigo de Passageiros) construído em 1981, na antiga frente da cidade, pela administração de Antonio Coelho e Raimundo Coelho. Na inauguração deste terminal foi um Deus nos acuda por uma tentava de homícidio político quando deram (?) um tiro de espigarda contra as autoridades e atingiu o vereador Divino Ribeiro de Rezende. O povo se atropelava correndo desesperadamente, alguns chegando até cair nas águas do Rio Amazonas.

Caminhada da Casa do Dep. Nilçon Pinheiro para a Prefeitura para a posse de Madson Pinheiro que governou por 06 anos ininterruptos o municipio de Juruti (1983 à 1988)

 

     Posse do Prefeito Fernando Batista na década de 70 - Figuras da politica de Juruti: Zaqueu Bruce, Epitácio Lima, José Pimentel, Madson e Nilçon Pinheiro, entre outros.

 

Deputado Nilçon Pinheiro comemorando seu aniversário com os funcionários da PMJ. Na paisagem do fundo do baú está Zenilda Guidão, José Pimentel (Zé Caiano), Lucídia Benitah, Gracy Gomes.

 

Os eleitos, na década de 70, após a missa de Ação de Graças. (da esquerda para direita): vereador Edson Lima (Didi), vereador Hélio Alves, vereador Wilton Andrade.... vereador Luís Barroso, prefeito eleito Antonio Assunção Coelho, Nilçon Barroso Pinheiro, Zenilda Guidão e a população presente.

 

Um seleto grupo do PMDB, ex-prefeito Isaias Batista Filho, Zenilda Guidão, Profa. Maria Pereira, ex-vereadora Régia Pinheiro, Enfa. Alaíde Carvalho, ex-prefeito Madson Pinheiro, ex-vereador Francisco Viola Filho e José Maria na década de 80.

 

Ex-vereadores Raimundo (Cachimbo) e Fernando Esteves de Lira em um comunidade jurutiense.

 

Uma sessão de posse: Aderbal Cunha, Madson Pinheiro, José Pimentel, Seu Dimica, ex-deputado Nilçon Pinheiro, ex-prefeito Antonio Coelho, Zaqueu Bruce, ex-vice prefeito Raimundo Coelho e outros.

 

Campanha de Nilçon Pinheiro para Deputado Estadual - MDB, apoiado por Jader Barbalho, prefeito Antonio Assunção Coelho e vereadores de Juruti. Discursando no palanque oficial o vereador Edson Lima (Didi), ladeados pela direita por Nilçon e Madson Pinheiro, e pela esquerda ladeados por Luís Barroso (Luizão), Aloisio Roso da Fonseca, Divino Ribeiro e Antonio Assunção Coelho

 

Inauguração da Escola Municipal Leopoldina Bruce - na ilha do Valha-me-Deus. Presentes: Zaqueu Bruce,  Mateus Bruce, Nilçon Barroso Pinheiro, Francisco Picanço e outros

 

Nilçon Barroso Pinheiro fazendo campanha para o General Abbas dos Santos Arruda à prefeito de Juruti

 

Posse do Fernando Batista com a presença de Raimundo Coelho, José Pimentel, Antonio Coelho, Francisco Garcia e Nilçon Pinheiro.

 

No comando do Técnico Zé Andrade, a Associação Atlética Nilçon Pinheiro  participa da copa jurutiense na década de 80.

Campeonato Jurutiense em 1986 - pose dos atletas da Associação atlética Nilçon Pinheiro

 

Na década de 80, jogadores que foram destaques: Sabazão, Dió, Cheiro, Benteco (Biliba) e outros.

 

Praça da Vila de tabatinga (década de 80) - Madson Pinheiro e Hélio Alves

 

Praça da Vila de Tabatinga - Juruti (PA) 

 

Realização do Primeiro Festival da Música de Juruti (anos 80) - No palco: Audenor Matias (Cheiro), Luís Carlos (Prova) e Wilton Andrade (Bode Mé)

Clube do Remo de Juruti (anos 80) - Jogadores: Isaias Batista, Preá, Shishuá, Bacuzinho, Piquiazão, Eder, Nando Vieira,Zé Maria, Pelé, Farinha e outros.

 

Paisagem da rua antiga e principal de Juruti (levada pelo fenômeno das terras caidas). Vista da área comercial, rampa e mercado municipal.

 

Antigo Grupo Escolar - reformado na gestão do ex-prefeito Antonio Assunção Coelho para atender o municipio de Juruti pela primeira vez com a instituição de 5a. à 8a. série num convênio com o Governado do Estado - Professores da época:Sebastiana Picanço (Babá/Português); Elma Batista (Matemática), Nilson Emílio Queiroz (Ensino Religioso), Francisco Vidal Miranda (Inglês), Isaias Batista Filho (Educação Física), Fátima (Geografia), Iolene Lima (Diretora), Disterro Silva (Secretária) e outros. 

 

Igreja católica da sede do municipio de Juruti - um símbolo da cidade em grande estilo

 

O então prefeito Antonio Assunção Coelho e Madson Pinheiro em uma viagem à Bolivia

 

Um dos maiores líderes politicos de Juruti e do Pará, na época prefeito e deputado estadual, Nilçon Barroso Pinheiro. Também reconhecido pelo pionerismo da exploração de ouro nos garimpos do Rio Tapajós. Ele e Antonio Assunção Coelho foram responsavéis pela carreira politica de Jader Barbalho que no inicio  da politica  vivia em Juruti e nos interiores fazendo campanha.

 

Paço politico da primeira residencia do Nilçon Pinheiro, um local que foi levado pela erosão.

 

Parte lateral da casa do Nilçon Pinheiro e o tradicional palanque com os dizeres: "DEUS DÊ LONGA VIDA AOS MEUS INIMIGOS PARA QUE ELES POSSAM APLAUDIR DE PÉ AS MINHAS VITÓRIAS"

 

Setembro de 1985, a casa do Nilçon Pinheiro está sendo desmontada para evitar prejuizos causados pelo fenônemo das águas que destruiram integralmente a frente de Juruti e toda a sua área comercial da época.

 

 

Clube Recreativo "Chapéu de Palha", em sua tarde dançante com carnaval. Um show especialmente para crianças e adolescentes

 

Cliper Arco-Iris, um anexo da igreja católica de Juruti que serve como a principal barraca da festa da Padroeira Nossa Senhora da Saúde

 

Clube do Pequeno Trabalhador nos anos 80, desfilando no dia 07 de setembro. Um projeto da prefeitura que marcou a vida dos adolescentes de Juruti.

 

Marcha de desfile do dia 07 de setembro em comemoração ao centenário de Juruti.

 

Adaias Batista - representante do Clube do Remo que foi vitorioso na Copa dos Jogos em homenagem ao Centenário de Juruti, recebendo o troféu.

 

A frente da cidade de Juruti em 1985 quando estava ocorrendo a erosão das terras caidas em Juruti

Escola tradicional de Juruti onde aconteceu  a instituição do Curso Modular do Magistério - SOME

Grupo de Escoteiros Mirins no campo de futebol (anos 80) para manter a ordem durante um torneio

Corpo docente e alunos do primeiro Américo Pereira Lima (antigo Grupo Escolar). Em virtude dos riscos de desabamento da erosão que afetou o municipio foi transferido  para a escola Zelinda Guimarães e finalmente ganhou um novo prédio (no antigo campo Ivan Viana Pará), na gestão do prefeito Isaias Batista